Take a fresh look at your lifestyle.

Câncer de Bexiga: Causas, Sintomas e Tratamentos

0

O câncer de bexiga é um tipo de câncer que começa nas células que revestem a bexiga e, de acordo com o nível de alteração e expansão para outros órgãos ou dentro da própria bexiga, ele pode ser classificado em diversas categorias.

Existem três tipos principais de tumor na bexiga, que são descritos de acordo com o local em que ocorre o desenvolvimento, e se não é ou é invasivo. Antes de descobrirmos mais a respeito, é necessário saber o que significa ser invasivo ou não:

  • Invasivo: existe a possibilidade maior de se disseminarem para dentro e para fora da bexiga. Podem crescer na camada muscular mais profunda e avançarem gradativamente para outras camadas, tornando seu tratamento mais complicado.
  • Não invasivo: ocorrem nas camadas internas de células, e não avançam além da bexiga. Seu tratamento é igualmente arriscado, porém mais possível.

Além destas classificações, o câncer de bexiga ainda se divide em estádios de avanço, em que mostra o grau de avanço do tumor dentro de órgão, e se há a possibilidade de avanço para outras regiões. Vejamos em maiores detalhes a seguir.

  • Estádio I: não há avanço do tumor na parede da bexiga. É seu estágio inicial.
  • Estádio II: avança gradativamente a parede da bexiga, e fica estacionada por algum tempo.
  • Estádio III: além de entrar na camada muscular da bexiga, o câncer nesse estádio pode invadir outros órgãos.
  • Estádio IV: ocorre a metástase do tumor, que avança através de linfomas para pulmões, fígado e ossos.

Quais são os tipos de câncer de bexiga?

Carcinoma de células transicionais (uroteliais)

É o tipo mais comum, que inicia-se nas células presentes na composição do revestimento mais interno da bexiga. Normalmente, não são invasivos, o que não descarta o acompanhamento constante do seu crescimento. Ele divide-se em outros dois subtipos.

  • Carcinomas Papilares – Seu crescimento é direcionado ao centro da bexiga.
  • Carcinomas Planos – O local de desenvolvimento é apenas na camada interna de células da bexiga.

Carcinoma de células escamosas

Afeta as células planas e delgadas. Nele, os tumores malignos se formam no revestimento mucoso da bexiga. Como estão envoltas em uma membrana, seu avanço nas camadas mais profundas é mais difícil, porém não menos doloroso, já que avança nas camadas mais profundas.

O tratamento é relativamente longo, porém o avanço do câncer nesse tipo também é demorado. Quando progride, ele rapidamente toma o estágio metástase, avançando para o útero, próstata e reto.

Adenocarcinoma

Nesse tipo, o tumor se inicia nas células glandulares, ou seja, as de secreção. Praticamente todos são invasivos. Eles acontecem principalmente depois de inflamações e lesões por longos períodos na bexiga sem o devido tratamento, abrindo espaço para a formação.

Sarcoma

É o tipo mais raro de câncer de bexiga. Ele avança no músculo do órgão, e quando avança é invasivo a outros órgãos adjacentes. Apesar de raro, é um dos mais identificáveis devido a região onde se manifesta.

Quais são as Causas do Câncer de Bexiga?

Apesar das causas do câncer serem variadas, contando com fatores internos ou externos ao organismo, o tabagismo é apontado como o principal fator de risco para esse tipo de câncer. Com os tipos variados de substâncias presentes no cigarro, tanto os rins como a própria bexiga não conseguem retirá-los de maneira adequada, aumentando a formação de células cancerígenas.

Também é cogitado que algumas composições químicas, quando em contato pelo ar ou mesmo por contaminação em água e alimentos, podem aumentar o risco de câncer na bexiga. Eis alguns exemplos de compostos que podem ser responsáveis pela manifestação de tumores na região, quando expostos em seu estado mais bruto e no período de fabricação.

  • Arsênico
  • Solventes
  • Couro
  • Borracha
  • Materiais têxteis

Quais são os Sintomas?

Tal como outros tipos de tumores e doenças, os sintomas do câncer de bexiga são bem parecidos com de outras complicações na região. Pelas exemplificações a seguir, elas podem se confundir com inflamações generalizadas, ou ainda com o câncer de próstata no caso dos homens, já que alguns dos sintomas são bem parecidos.

  • Sangue na urina
  • Dor ao urinar
  • Incontinência urinária
  • Dor nas costas
  • Dor pélvica
  • Fadiga
  • Perda de peso

No entanto, ardência e urgência para urinar também podem ocorrer. Lembrando que nem sempre ter esses sintomas significa que a pessoa está com câncer de bexiga, podem ser sinais de outras doenças no aparelho urinário.

Como Ocorre o Diagnóstico?

O diagnóstico pode ser feito por meio de uma citoscopia (é um exame que consiste na análise interna da bexiga com o auxílio de um cistocópio), exames de urina e biópsia. Para muitos tipos de câncer, o diagnóstico definitivo da doença é feito por meio da biópsia.

Ultrassom detecta câncer de bexiga?

Existe a chance de detectar o câncer de bexiga por meio de ultrassom. Mais especificamente, o ultrassom endoscópico. Nele, são produzidas imagens em tempo real de órgãos e tecidos do corpo, através da emissão de ondas sonoras de frequência cirúrgicas.

No ultrassom endoscópico, especificamente, são registradas imagens dos gânglios linfáticos, da parede do estômago, e de outros órgãos da região em busca das células cancerígenas. Uma vez que seus sintomas começam não apenas na região excretora, como no aparelho gastrointestinal, a varredura precisa ser completa.

A vantagem do ultrassom endoscópico é que não há a exposição do paciente à radiação, o que por si só já reduz os riscos de uma maior exposição ao quadro de câncer. Contudo, ainda é um tipo de diagnóstico por imagem pouco acessível a maior parte da população, seja pela falta de locais disponíveis com o recurso, e pelos custos do mesmo.

Complicações do Câncer de Bexiga

Além da doença por si só ser fatal, outras complicações gravíssimas podem surgir antes desse processo. A metástase, que vamos falar mais adiante, é um dos principais, mas existem outros casos que ocorrem à medida que o tumor aumenta ou avança pelo organismo.

Os mais comuns são os seguintes.

Anemia

A perda dos glóbulos vermelhos no sangue causa a perda de apetite, fadiga, taquicardia e vertigem. Com o avanço do câncer, o corpo começa a se enfraquecer, o que exige não apenas mudanças expressivas na dieta, como períodos de repouso mais constantes.

Estenose Uretral

É quando o canal da uretra, por onde passa tanto a urina, como o sêmen no caso dos homens, se estreita, tornando mais difícil o ato de urinar. A estenose pode ocorrer em qualquer área da uretra, desde a área próxima a glande, no caso dos homens, até próximo da bexiga. Com o aumento do tumor, a tendência é que a região se feche por fibrose.

Incontinência urinária

Ocorre quando há uma falta de controle na vontade de urinar. Ela pode ser moderada, quando vem através de esforços involuntários e espontâneos do corpo, como espirrar, por exemplo, como não ter controle algum, com o órgão excretor expelindo a urina ao menor sinal. É uma das primeiras complicações do câncer de bexiga, o que exige adaptações de acordo.

Grupos e Fatores de Risco

Existem alguns fatores de risco bem comuns relacionados ao câncer de bexiga. Isso não significa que a doença em si seja comum e que apareçam em grandes grupos, porém quanto mais eles forem evitados e prevenidos, maiores são as chances de evitar o câncer de bexiga. Vejamos os grupos mais comuns.

Histórico familiar e gênero

É uma das causas mais comuns de câncer de bexiga fora dos causas induzidas pela falta de cuidado. Fatores hereditários podem aumentar as chances no desenvolvimento de tumores, que podem ser diagnosticados ainda cedo na infância.

Mais Sobre Este Assunto

Quanto aos gêneros, é mais comum que as células cancerígenas se desenvolvam em homens. Não há uma relação entre ela e o câncer de próstata, embora uma das regiões afetadas pela metástase, inicialmente, seja ela.

Câncer de bexiga em idosos

A faixa etária mais comum para a apresentação de casos de câncer de bexiga é de 40 anos para cima, sem a devida prevenção ao longo da vida. A incidência aumenta à partir dos 60 a 65 anos, e na verdade esta costuma ser a média mais comum de casos de câncer em todo o Brasil, e não apenas o de bexiga.

Inflamações na bexiga a regiões próximas

Inflamações e infecções bacterianas de qualquer natureza podem ser perigosas na região da bexiga e outros órgãos próximos. Se não houver um tratamento adequado, o desenvolvimento de tumores pode ser ainda maior em idades mais avançadas.

Metástase do Câncer de bexiga

A metástase ocorre quando as células cancerígenas avançam para outras regiões do corpo além do órgão em que se original. No caso da bexiga, ela começa em uma de suas camadas, geralmente o urotélio, a mais interna do órgão, e avança gradativamente por todas as camadas da bexiga.

À medida que ele cresce e avança, a metástase do câncer pode avançar para outros órgãos do aparelho excretor ou ainda reprodutor.

No caso dos homens, um dos primeiros afetados é a próstata, acarretando em problemas como disfunção erétil e problemas de ereção. No caso das mulheres, ele pode avançar para a ureter, que liga as trompas, ou ainda para o útero. Em estágios mais avançados, ela avança para ossos, fígado e pulmões, o que torna suas chances de resolução cada vez menores.

Câncer de bexiga tem cura?

Tal como a maior parte dos tumores, existe sim a chance de cura, desde que seu diagnóstico seja feito nos estágios iniciais. Ou mais especificamente para os cânceres de bexiga, se ele é do tipo não invasivo, no primeiro estádio.

Quando a doença para os estádios posteriores, os riscos de cura aumentam, sendo o mais provável que se faça uma intervenção cirúrgica para retirar o tumor, o que acarreta em riscos. Somente o médico que está acompanhando o caso poderá dizer com maior precisão as chances de cura.

Se for necessário, é uma boa ideia procurar por uma segunda ou terceira opinião clínica sobre o quadro. Novamente, é muito importante que se faça os exames periódicos, bem como tomar os cuidado preventivos contra a doença.

Câncer de bexiga tempo de vida

A taxa de sobrevida para quem tem o câncer de bexiga pode variar de acordo com seus estádios de desenvolvimento. É comum se falar em ao menos 5 anos após o prognóstico, que pode ser maior ou menor de acordo com a condição prévia e pós diagnóstico do paciente, bem como os seus tratamentos.

É sabido que as chances de resolução da doença são possíveis pelos tratamentos atuais da doença. Contudo, é igualmente importante que a realidade do caso seja passada de forma transparente e amena para os mesmos: sempre há chances de cura, mas não há garantias.

Portanto, ao mesmo tempo em que há uma luta constante contra o câncer, também deve haver a conscientização de que o paciente deve estar preparado para qualquer mudança. O apoio da família e amigos é fundamental nessa parte.

Quais são os Tratamentos para o Câncer de Bexiga?

Depois do diagnóstico, levando em conta os resultados dos exames, idade, intensidade dos sintomas e estágio em que o câncer está, o médico poderá apontar quais são os tratamentos mais adequados, podem ser alguns deles:

Quimioterapia

Para combater as células cancerígenas na corrente sanguínea. São realizados nos estádios I e II, e caso não surta efeito, são encaminhados a outros procedimentos.

Radioterapia

Para destruir células tumorais. É utilizado em casos de tumores invasivos, devido a urgência em conter o seu avanço para outras camadas da bexiga e outros órgãos próximos.

Imunoterapia

São reforços ao sistema sistema imunológico para combater as células cancerígenas. Realizado no estágio inicial do câncer, são aplicados medicamentos via intravenoso, através de um cateter inserido na uretra. Esses medicamentos são os mesmos que formam a vacina BCG, utilizada como medida preventiva ao câncer na região

Cistectomia

Trata-se de uma intervenção cirúrgica para conter o avanço do tumor em seus estádios mais avançados. A cistectomia subdivide-se em 2 tipos.

Segmentada: parte da bexiga, com as células cancerígenas, é retirada.

Radical: remoção completa da bexiga. É feita uma construção posterior para o armazenamento da urina e garantir a qualidade de vida do paciente, embora precise de uma série de adaptações.

Como prevenir o câncer de bexiga?

A prevenção contra o câncer de bexiga é praticamente a mesma de outros tipos de tumores e manifestações nocivas de saúde à partir de uma certa idade. É importante que essas atitudes não sejam levadas de forma opressiva, mas sim como a busca por uma qualidade de vida imediata e ao longo do tempo.

Vejamos algumas atitudes simples.

Mantenha dieta balanceada

Uma dieta rica em antioxidantes, diuréticos e termogênicos não apenas diminui os riscos de câncer de qualquer tipo, como torna seu corpo mais ativo no dia a dia. Não por acaso, combinar a dieta com atividades físicas constantes vai fazer com que seus órgãos funcionem de forma mais dinâmica e saudável. Vejamos alguns exemplos de alimentos que podem ser incorporados a dieta para este fim.

  • Banana
  • Morango
  • Gengibre
  • Cereais
  • Frutas Cítricas

Suas melhores formas de consumo incluem sucos, infusões e saladas. Na mesma proporção, evite alimentos com altos índices de gordura, seja em seu preparo ou estado natural, para não forçar os órgãos em suas atividades. O ideal é sempre buscar um equilíbrio na alimentação para ter um corpo preparado para vários tipos de atividades.

Evite cigarros

É um hábito que pode exigir muito de quem fuma há tempos, porém de grande importância para garantir uma sobrevida mais saudável em idades mais avançadas. Além de prevenir o câncer de bexiga, acabar com o tabagismo pode reduzir as chances de enfisema pulmonar, disfunção erétil, entre outras mazelas relacionadas ao fumo.

Beba bastante água

Água é fundamental para manutenção do corpo. Além de manter a rotina constante de 2 litros de água por dia, também é importante tomar algumas atitudes que otimizem seu consumo. Por exemplo, filtre bem a água para consumo direto, limpando filtros de tempos em tempos ou fervendo para eliminar bactérias.

E se possível, evitar garrafinhas de plástico, já que os componentes da embalagem podem vir junto a garrafa. Para estes casos, opte por cantis ou recipientes de vidro, para garantir uma qualidade de vida melhor.

Além dessas atitudes simples, uma atitude preventiva que vai ajudá-lo a garantir uma proteção a mais ainda na infância é a vacina BCG. Além dos riscos dessas células se manifestarem diminuírem de forma gradativa, ainda previne outros tipos de doenças.

Câncer de bexiga fotos

Para facilitar a visualização tanto dos casos de câncer de bexiga em seus estágios iniciais, como as regiões que podem ser afetadas e tratadas, seguem algumas fotos e imagens mais claras do quadro. Use-as apenas como referência; para ter uma identificação real do quadro, consulte um médico com frequência e tome as atitudes preventivas de acordo.

O câncer de bexiga é perigoso como qualquer tipo de tumor. Buscar boas atividades preventivas, seja para este como para outros quadros do tipo, não devem ser apenas com objetivos apreensivos, mas sim para buscar um bem estar geral naturalmente. Não deixe de cuidar bem de si mesmo, e até a próxima!

Leave A Reply

Your email address will not be published.