Take a fresh look at your lifestyle.

Espondiloartrose

0

A espondiloartrose é também conhecida como artrose na coluna, um tipo de doença em que a cartilagem das articulações e principalmente dos discos do pescoço e da região lombar entram em colapso. Muitas vezes esse tipo de artrose causa fraqueza e muitas dores nos braços, pernas e coluna.

Essa doença piora conforme o tempo passa, já que os ossos podem quebrar e desenvolver esporas (tumores).

Quais são as causas da espondiloartrose?

Não há uma causa única para a doença. A principal causa desse tipo de artrose é a idade. Quanto mais velho, mais fácil para a doença se desenvolver, devido a fragilidade que é adquirida com o passar do tempo. As mulheres acima de 45 anos são as maiores atingidas, abaixo dessa idade os mais atingidos são os homens.

Os mais jovens podem desenvolver a doença, devido:

  • Lesão ou pequenos traumas que contribuem para o aparecimento da doença
  • Junta com defeito genético

Um dos principais fatores de risco para a doença é a obesidade, já que a movimentação do corpo se torna mais difícil e as chances de desenvolver a doença é maior. Outro fator de risco está relacionado as pessoas que possuem trabalhos repetitivos e que forçam constantemente as articulações, como por exemplo, os esportistas.

Outra característica que pode facilitar o surgimento da doença são os genes. Alterações genéricas podem tornar uma pessoa mais propensa para o desenvolvimento da Espondiloartrose, uma alteração que seria válida para a doença é de um defeito na produção de colágeno, uma proteína que compõe a cartilagem. Pessoas com essa alteração podem adquirir a doença com menos de 20 anos de idade.

Quais são os sintomas?

A osteoartrite da coluna vertebral, ou a espondiloartrose, pode apresentar sinais e sintomas de acordo com cada articulação afetada. Alguns sintomas, porém, são comuns em todos os tipos, tais como:

  • Rigidez
  • Inchaço nas articulações afetadas
  • Dor no pescoço ou nas costas
  • Fraqueza
  • Dormência nas pernas ou braços
  • Dor nas costas
  • Zumbido nos ouvidos
  • Dificuldade em movimentar o pescoço
  • Tontura ao virar a cabeça rapidamente
Mais Sobre Este Assunto

Outro sintoma está ligado à saúde mental do diagnosticado, já que ele se sente impotente e, muitas vezes, deprimido, por não conseguir realizar atividades cotidianas.

dicavida_espondiloartrose

 

Como diagnosticar?

A osteoartrite em geral, o que inclui a espondiloartrose, pode ser melhor diagnosticada por raio-X. Muitas vezes, o médico identifica uma maior sensibilidade em algum osso ou cartilagem na parte do pescoço ou na parte das costas e encaminha o paciente para este exame.

Os raios-X são usados para identificar os danos nos ossos e osteófitos. Outros métodos bastante usados são o exame de sangue e a ressonância magnética, que pode encontrar danos nos discos ou estreitamento de áreas da coluna vertebral.

Existe algum tratamento?

A espondioartose não tem cura, desse modo os tratamentos são usados para diminuir os sintomas e, assim, aliviar as dores. A chave para a diminuição dos sintomas é ter um estilo de vida saudável.

No início, o melhor para o paciente é perder peso e em seguida manter-se saudável. Para isso é necessário a prática do exercício físico, já que ele além do auxílio na perda de peso, aumenta a flexibilidade e melhora no fortalecimento dos movimentos.

Os exercícios mais recomendados são a natação, a hidroginástica e a caminhada. Esses exercícios fortalecem os músculos e deixam as articulações mais fortes.

Alguns outros tratamentos encontrados são: a estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS), que nada mais é do que um pequeno dispositivo que quando colocado junto da área afetada emite pulsos elétricos que estimulam a região, a acupuntura, a colocação de compressas frias ou aquecidas na articulação afetada. É sempre importante lembrar que um médico sempre deverá ser consultado.

Veja também esta palestra com Dr. Luís Pollon, especialista em coluna, falando sobre espondioartose (29:40)

 

 

Leave A Reply

Your email address will not be published.