Take a fresh look at your lifestyle.

Mamografia – Tudo Sobre os Riscos e os Benefícios

0

A saúde da mulher é sempre assunto para discussão e com objetivo de aumentar o conhecimento acerca do bem-estar e prevenção de doenças. Certas dúvidas surgem principalmente no que condiz a certas precauções à saúde, como, por exemplo, a mamografia, um exame preventivo simples, mas que muitas mulheres às vezes esquecem de realizar ou adiam sua realização.

Veja tudo o que você precisa saber sobre a mamografia!

O que é Mamografia?

Muitas mulheres acreditam que a palpação das próprias mamas, ou auto-exame, substitui a mamografia, quando na realidade esta permite que alterações sejam detectadas antes mesmo de serem percebidas pelo toque.

A mamografia é a radiografia das mamas. Ela estuda a anatomia do tecido mamário e é um exame que revela possíveis alterações, como nódulos e tumores. Ela tem sido cada vez mais empregada no diagnóstico das lesões de mama e é o único eficaz na redução da mortalidade pelo câncer de mama, principalmente após a menopausa.

Ela está indicada para dois grupos de mulheres: as assintomáticas (sendo utilizada como exame de rastreamento do câncer de mama) e as sintomáticas (nas quais os achados clínicos levam a suspeita de câncer de mama).

Este exame é utilizado em mulheres acima de 40 anos, adequado para avaliar as mamas neste grupo de mulheres. Para as com sintomas mamários, a mamografia tem sido utilizada após os 35 anos ou então independentemente da idade para aquelas que apresentam lesões clinicamente suspeitas de malignidade e também aquelas com histórico familiar de câncer de mama (aos 35 anos ou cerca de 10 anos antes da parente de primeiro grau, mãe ou irmã, que teve câncer de mama antes da menopausa). Além disso, ela pode ser realizada junto a uma ultrassonografia em mulheres muito jovens que precisam avaliar nódulos, pois o mamógrafo nem sempre consegue detectar lesões em mamas densas ou muito jovens.

Como funciona a Mamografia?

dicavida-mamografia-1-min

Há dois tipos de mamografia:

  • Convencional: onde a imagem é produzida diretamente no filme;
  • Digital: onde a imagem é gerada eletronicamente, podendo ser manipulada no computador e arquivada digitalmente. Na mamografia digital é possível verificar cada ponto da imagem ampliadamente.

Notícia Diárias Para Quem Não Tem Tempo

O exame da mamografia leva em média de 15 a 20 minutos. Ele só é concluído após verificar a qualidade das imagens. Para melhorar essa qualidade, a mama é comprimida para se tornar uniforme e os tecidos devem ficar totalmente visíveis. São necessárias mudanças de posição das mamas para um exame completo.

Durante o exame, um técnico especializado posicionará as mamas em uma plataforma especial que irá comprimi-las gradualmente, por uma placa transparente e assim são expostos os raios-X.

Há muitas vantagens relacionadas à digitalização das imagens na mamografia. Além da maior qualidade das capturas, pois estamos falando de imagens em alta definição, há também a possibilidade de transmissão imediata das imagens para uma central de radiologia, onde podem ser realizados os laudos a distância.

Laudos de mamografia a distância – Uma das grandes vantagens da telerradiologia é o fato de que todos os processos de laudo podem ser consideravelmente agilizados. No caso dos laudos de mamografia a distância elaborados pela equipe da DiagRad, dois fatores são proeminentes para que hospitais e clínicas possam obter laudos de qualidade no menor tempo possível: agilidade e especialização.

Assim, quando as imagens são enviadas para a central de telerradiologia da DiagRad, de imediato quem assume a tarefa são profissionais especialistas em laudos de mamografia. Isso faz com que seja muito fácil para eles localizar eventuais anomalias, uma vez que estão habituados com o tema.

Além da qualidade superior que pode ser obtida, se comparada ao trabalho de profissionais mais generalistas, existe ainda o fator agilidade. Em linhas gerais, um exame como um laudo de mamografia a distância pode ter o seu resultado disponibilizado em menos de 24 horas, ainda que estejamos falando de um exame de rotina.

Quais os benefícios da Mamografia?

A mamografia desempenha um papel fundamental no diagnóstico de câncer de mama. Ela pode salvar vidas. Encontrar um câncer de mama precocemente reduz o risco de morrer da doença entre 25 e 30% ou mais.

Um dos maiores benefícios da mamografia é o diagnóstico precoce. Assim, ao realizar o auto-exame e encontrar alguma alteração, a mulher deve procurar um profissional da área imediatamente e fazer a mamografia, que é um exame mais completo. E se a mulher tiver casos de câncer de mama na família, a prevenção deve começar mais cedo.

Existe muita dúvida se mulheres com próteses de silicone podem realizar a mamografia. Elas podem fazer o exame normalmente. Porém, isso deve ser avisado ao técnico que realizará a mamografia para que ele modifique os parâmetros do aparelho. Algumas pesquisas comprovam que o silicone pode prejudicar o diagnóstico precoce do câncer de mama em até 30% e com isso, a mulher deverá realizar outros exames, como o ultrassom mamário, ressonância magnética das mamas ou a mamografia digital, para prever um diagnóstico mais preciso.

Existem riscos ao realizar este exame?

A mamografia não previne o câncer de mama, mas pode salvar vidas, encontrando nódulos e tumores precocemente. O principal risco da mamografia é que ela nem sempre é perfeita, podendo ser imprecisa. Um tecido mamário normal pode esconder um câncer de mama e ele pode não aparecer neste exame.

Além disso, podem ocorrer alarmes falsos, como em casos onde a mamografia identifica uma anormalidade que pode se parecer com um tumor, mas que pode ser somente algo completamente normal. Com isso, a mulher precisa realizar mais exames e acompanhamento médico, o que pode ser estressante.

Por conta desses alarmes falsos, é necessário mais do que a mamografia, como a realização do auto-exame da mama e até outros exames, como a ressonância magnética ou ultrassom de mama.

Outro risco que preocupa as mulheres é a exposição à radiação da mamografia. Porém, mamografias mais modernas têm envolvido uma pequena quantidade de radiação, até menor que aquela emitida em uma radiografia de tórax, por exemplo.

Como realizar o exame de forma mais confortável?

Muitas mulheres se queixam de desconforto ao realizar a mamografia, até considerando a dor insuportável. Após o exame, algumas ficam com traumas físicos e psicológicos e acabam evitando futuras mamografias e até transmitindo essa mensagem a outras mulheres, que também evitam realizá-las devido aos comentários.

Esse desconforto se deve ao fato da compressão que é exercida nas mamas pela placa transparente, chamada de prato plástico de compressão e o porta filme. Porém, para a grande maioria das mulheres, apesar de ser um exame um pouco desagradável, a mamografia é bem tolerada.

A dor e o desconforto acontecem com freqüência principalmente nas mulheres com sensibilidade nas mamas (ou mastalgia como os especialistas chamam). Com isso, algumas ações devem ser tentadas a fim de diminuir a dor durante o exame mamográfico e com isso a mulher poder utilizar essa tecnologia ao seu favor e sem sofrimento.

Dentre essas ações para amenizar o desconforto na hora da mamografia, podemos citar:

  • Sempre informar ao técnico se já realizou cirurgias ou biópsias, se tem prótese de silicone, se está grávida ou amamentando.
  • Realizar o exame uma semana após a menstruação, já que no período menstrual há sensibilidade nas mamas e assim evitar dores durante a mamografia.
  • Para facilitar o manuseio, usar roupas simples.
  • Na região das mamas e axilas, evitar o uso de antitranspirantes, perfume, talco, cremes no dia do exame.

Quem deve fazer o exame?

A menos que seja solicitado por um médico anteriormente, a primeira mamografia deve ser feita quando a mulher completar 35 anos de idade. Depois dos 40 anos, a indicação é que esse exame deve ser feito ao menos uma vez por ano. Mulheres que se enquadrem em algum grupo considerado de risco devem iniciar os tratamentos mais cedo.

Por grupo de risco entende-se aquelas mulheres com um ou mais parentes de primeiro grau (mãe, irmã ou filha, por exemplo) com câncer de mama antes dos 50 anos; um ou mais parentes de primeiro grau com câncer de mama bilateral ou câncer de ovário; histórico familiar de câncer de mama masculino; ou ainda lesão mamária proliferativa com atipia comprovada em biópsia.

Embora seja mais raro, não pode ser descartada a hipótese de que homens também podem ser vítimas de câncer de mama. Segundo as estatísticas da literatura médica, para cada 100 mulheres diagnosticadas com câncer de mama pelo menos um homem pode ter um laudo similar. Portanto, essa hipótese não pode ser descartada por completo.

Dessa forma, a mamografia pode também ser usada para a avaliação da mama masculina, seja para verificar um aumento no volume, denominado ginecomastia, ou para a percepção da presença de nódulos palpáveis. No caso dos homens, a indicação para o exame de mamografia deverá partir do médico ao se perceberem sintomas que possam levar ao diagnóstico de algumas dessas possibilidades.

Como acontece o exame?

Embora seja indolor, algumas pessoas podem considerar o exame um pouco desconfortável. A paciente é posicionada em pé próxima do equipamento e há compressão das mamas, de forma horizontal e vertical, para eu sejam registradas as imagens. Mesmo mulheres com próteses de silicone podem realizar a mamografia, porém essa característica deve ser informada antes do exame.

Não há necessidade de repouso ou algum tipo de contraindicação para a realização de uma mamografia. A única exceção fica por conta das gestantes, que durante o primeiro trimestre gestacional devem evitar exames que utilizam Raios-X. O uso de cremes, desodorantes, perfumes e talco também deve ser evitado para facilitar a captura de imagens.

Quanto tempo leva a recuperação?

dicavida-mamografia-2-min

 

Notícia Diárias Para Quem Não Tem Tempo

Se confirmado um câncer de mama após os resultados do exame de mamografia, a pessoa terá que passar por um tratamento que dependerá do estágio da doença. Normalmente fará radioterapia ou quimioterapia, cirurgias para retirada do tumor e, em certos casos, a retirada da mama.

Na recuperação, a paciente deverá fazer uso de medicamentos para dor, curativos e exercícios para fortalecer o braço do lado que foi operado. O tempo desta recuperação leva em média de 1 a 2 meses.

 

 

 

 

Veja também esta reportagem sobre a mamografia (8:31):

 

 

Leave A Reply

Your email address will not be published.