Take a fresh look at your lifestyle.

Meningite: Viral, Bacteriana e Fúngica

0

A meningite é uma inflamação das meninges, três membranas que envolvem e protegem o encéfalo, a medula espinhal e outras partes do sistema nervoso central. Há três tipos de meningite: viral, bacteriana e a fúngica (causada por fungos), sendo a mais grave a causada por bactéria. A desenvolvida por vírus, normalmente, é mais a branda e a por fungos é a mais rara.

Meningite Viral

A meningite viral é uma infecção que se instala principalmente quando o vírus ataca as meninges. A meningite viral, comumente chamada apenas de meningite, é a mais comum entre os dois tipos: meningite viral ou meningite bacteriana.

As meninges são três membranas que envolvem e protegem o encéfalo, a medula espinhal e outras partes do sistema nervoso central. Além de ocasionada por bactéria e vírus, a meningite pode ser ocasionada pelo bacilo de Koch, causador da tuberculose.

Os problemas ocasionados pela meningite variam de acordo com o grau de manifestação da doença, bem como o tipo de agente causador. É importante que haja, logo aos primeiros sintomas, o acompanhamento, visto que a doença pode ocasionar sequelas e, até mesmo, a morte.

Quais são as causas?

A causa da meningite varia de acordo com o tipo do agente causador. O tipo mais comum da doença é aquela causada por vírus, mas há casos também da doença provocada por bactérias. Os fungos também podem provocar o surgimento da meningite, porém de uma maneira mais comum.

A doença, quando ocasionada por vírus, e pode ser a mais branda de todas, pois na maioria das vezes não exige o tratamento médico. Os vírus causadores da meningite podem ser transmitidos por diversos locais, como:

  • Alimentos
  • Água
  • Objetos contaminados

Há a uma probabilidade maior de a meningite ocorrer em alguns indivíduos durante o período de começo do outono e no fim do verão. As crianças menores de cinco anos são as mais afetadas pela meningite viral, enquanto que a meningite bactéria atinge, geralmente, adultos com aproximadamente 20 anos. Nas meningites bacterianas há um causa específica sobre: a bactéria listeria monocytogenes costuma fazer idosos se tornarem vítimas da doença.

Quais são os sintomas?

Os sintomas da meningite viral são característicos, sendo principalmente a rigidez do pescoço e a febre acima de 38ºC. Contudo, outros sinais podem ser observados antes do diagnóstico da doença. Os sintomas da meningite viral duram entre 7 a 10 dias, geralmente, até que o vírus seja eliminado do organismo do paciente. Confira abaixo os demais sintomas:

  • Forte dor de cabeça;
  • Náuseas e vômitos;
  • Hipersensibilidade à luz;
  • Irritabilidade;
  • Dificuldade para acordar;
  • Diminuição do apetite.

Quais são os tratamentos?

Para reconhecer que um paciente foi acometido pela meningite é necessário realizar um exame de sangue ou da punção lombar, que deve ser realizado pelo médico especialista da área, o neurologista.

Assim como em outras doenças que são ocasionadas por vírus, não há um tratamento específico para as meningites virais. Normalmente, o que ocorre é que, quando um paciente se queixa de muitos dos sintomas citados acima, o médico pode indicar remédios antitérmicos e analgésicos que são úteis para o alívio dos sintomas.

Para a prevenção, o cuidado é sempre o passo mais importante a ser tomado. Manter uma boa higiene é fundamental para evitar o surgimento da meningite, bem de tantas outras enfermidades. Lavar as mãos com frequência, especialmente antes das refeições é uma das dicas mais dadas pelos especialistas.

Fique atento aos sintomas que o indivíduo demonstrar. No caso da meningite, seja ela ocasionada por vírus e bactérias e, principalmente, quando acomete crianças, atente-se para os sintomas: se uma criança está chorosa, com falta de apetite, desanimada e que se queixa de dor de cabeça procure um especialista urgente.

Meningite Bacteriana

A meningite bacteriana é aquela em que há uma infecção que provoca a inflamação do tecido que envolve o cérebro e a medula. Na maioria dos casos, a meningite bacteriana é uma situação grave, como dissemos acima, e que pode colocar em risco a vida do paciente, quando não tratada da maneira correta.

Esta forma de manifestação da doença tem cura sim, mas o paciente deve ser levado ao hospital assim que os primeiros sintomas forem observados.

Quais são as causas?

Há três bactérias que podem ocasionar o surgimento da meningite bacteriana: Neisseria meningitidis, Hemophilus influenzae e Streptococcus pneumoniae. Estas três bactérias se encontram, geralmente, no meio ambiente e podem inclusive viver no nariz ou no aparelho respiratório de uma pessoa sem provocar qualquer dano.

E como a doença ocorre? Algumas vezes as bactérias infectam o cérebro sem que se possa identificar a razão disso. Além dessa probabilidade, ferimentos na cabeça ou anomalias no sistema imunológico podem ocasionar o surgimento da infecção que pode vir a causar a meningite.

Os fatores de risco para a doença consideram principalmente os indivíduos que apresentam:

  • Infecção crônica do ouvido;
  • Infecção crônica do nariz;
  • Pneumonia;
  • Uso abusivo de bebidas alcoólicas.

Crianças também são mais vulneráveis de contrair a meningite, principalmente, entre um mês de vida e dois anos de idade. É importante ficar atento para os sintomas, pois a meningite pode, inclusive, ocasionar epidemias.

Quais são os sintomas?

A meningite bacteriana, de acordo com especialista, pode matar em 10% dos casos e atinge 50% quando a infecção alcança a corrente sanguínea. Estes dados são o principal motivo para a divulgação do tratamento médico assim que se obtêm o conhecimento sobre a doença. Confira os sintomas:

  • Febre alta;
  • Fortes dores de cabeça;
  • Vômitos;
  • Rigidez no pescoço;
  • Moleza;
  • Irritação;
  • Fraqueza;
  • Manchas vermelhas na pele.

As manchas vermelhas podem ser confundidas, inclusive, com picadas de mosquito que, de acordo com o tempo passado, aumentarão de número e de tamanho, sendo indício de que há uma grande quantidade de bactérias circulando pelo sangue.

Além destes sintomas, a meningite bacteriana pode ocasionar:

  • Febre acima de 38º C;
  • Dor de cabeça intensa;
  • Dor ao virar o pescoço;
  • Manchas roxas na pele;
  • Rigidez muscular no pescoço;
  • Cansaço e apatia;
  • Sensibilidade à luz ou ao som;
  • Confusão mental.

Quando crianças são vítimas da doença elas também podem apresentar irritabilidade, choro forte, convulsões e moleira dura e tensa.

Existe algum tratamento?

O tratamento da meningite bacteriana deve ser realizado com o uso de antibióticos e deve ser iniciado o mais rápido possível. Em alguns casos, o tratamento da meningite também utiliza corticosteroides por via endovenosa para diminuir a inflamação.

É importante que haja uma pesquisa, a fim de identificar a bactéria responsável para, então, dar prosseguimento ao tratamento e escolher o antibiótico mais apropriado para tratar a doença. O tratamento para a meningite também inclui anestésicos e antitérmicos, em função da febre, da sudação, dos vômitos e da falta de apetite.

Como prevenir?

A maneira mais eficaz de se proteger contra a meningite bacteriana é a vacina. Existem três tipos de bactérias que podem causar meningite:

  • Neisseria meningitidis (meningocócica)
  • Streptococcus pneumoniae (pneumococos)
  • Haemophilus influenzae tipo b (Hib).

Para diminuir o risco de propagação da doença, os antibióticos são recomendados para aqueles que estão próximos às pacientes com meningite meningocócica. Os antibióticos também são recomendadas para toda a família, se um membro da família estiver com infecção Hib. Somente o seu médico poderá dizer se há uma pessoa de alto risco em sua casa e se são necessários antibióticos.

Meningite Fúngica

A meningite fúngica é rara e geralmente causada por disseminação do fungo através de sangue para a medula espinhal. Embora qualquer pessoa possa contrair a doença, as pessoas com sistema imunológico debilitado e portadores de HIV ou câncer são mais vulneráveis de contrair a doença.

A causa mais comum de meningite fúngica em pessoas com sistema imunológico fraco é chamado de Cryptococccus que é comum em adultos na áfrica.

Quais são os fatores de risco?

Certas doenças, remédios e procedimentos cirúrgicos podem enfraqueces o sistema imunológico e aumentar o risco de contrair a doença. Bebês prematuros abaixo de peso também correm o risco de contrair a infecção na transfusão de sangue que pode chegar até o cérebro. Além disso, cocôs de passaros e morcegos podem conter histoplasma e coccdiodes que provocam a doença.

Quais são os sintomas?

  • Febre
  • Dor de cabeça
  • Torcicolo
  • Náusea
  • Vômito
  • Fotofobia
  • Mentalmente alterado causado confusão

Como diagnosticar?

É possível diagnosticar a meningite fúngica através das amostras de sangue no laboratório de teste. A gravidade da doenças poderá ser observado dependendo da causa.

Quais são os tratamentos?

A meningite fúngica é tratada com altas doses de medicação antifúngica, geralmente administrada por via intravenosa no hospital. A duração do tratamento depende da força do sistema imunológico e do tipo de fungo que causau a infecção. Para aqueles que tem sistema imunologico mais fraco, os tratamentos são mais longos.

Como prevenir?

Embora não tenha uma atividade específica que causa meningite fúngica, evite o solo e outros ambientes que possam conter fungos. Pessoas com sistema imunológico fraco e vivem em uma região geográfica onde fungos como Histoplasma, Coccidioides ou Blastomyces são predominantes, devem evitar contato com os cocôs de passaros e evitar de fazer atividade de escavação e poeira.

Quais são as chances de perda auditiva após meningite?

dicavida_meningite

A perda auditiva acontece por diversas causas. Não se espante se um dia você conhecer alguém que perdeu a capacidade auditiva por causa de uma meningite.

Entre os danos permanentes da meningite, o mais comum é a surdez. Isso acontece durante os primeiros dias da inflamação, que atinge a cóclea. A cóclea fica localizada no ouvido interno e é a região responsável por transformar os sinais acústicos em elétricos e mandar a informação para o cérebro, possibilitando a audição.

A perda de audição por meningite, geralmente, é neurosensorial, profunda, bilateral, simétrica e descendente. O sexo masculino é mais afetado do que as mulheres, assim como, as crianças com menos de cinco anos. 

A possibilidade de uma criança que experimenta certo grau de perda auditiva após meningite, vai depender de uma série de fatores. A idade da criança é fundamental, com bebês recém-nascidos que enfrentam um risco a mais.

Desde 1992, problemas de audição permanecem como um dos problemas mais comuns decorrentes da meningite bacteriana.

Outras formas de meningite que não são evitáveis por vacina e que representam um risco significativo de perda auditiva são estreptococos do grupo B e meningite coli E, que juntos respondem pela maioria dos casos de recém-nascidos.

Meningite bacteriana é responsável por cerca de 6% de toda a deficiência auditiva em crianças. Segundo uma pesquisa recente, 72% destas crianças ficarão surdas antes de seu terceiro aniversário. Surdez nesta idade pode ter um grave impacto sobre o desenvolvimento de uma criança em termos de habilidades sociais e de linguagem. Por esta razão, é fundamental que a meningite seguida de deficiência auditiva seja identificada o mais breve possível para que os pais possam adotar estratégias adequadas para combater seus efeitos.

Quais são os sintomas?

Meningite e septicemia, a forma de envenenamento da doença, podem ser difíceis de identificar, pois os sintomas são parecidos com os da gripe. No entanto, dado o rápido desenvolvimento dessas condições, é vital que seja identificada e tratada o quanto antes.

Os sintomas incluem:

  • Assaduras;
  • febres;
  • vômitos;
  • mãos e pés frios;
  • respiração rápida;
  • dor muscular (às vezes com diarreia);
  • sonolência (não em todos os casos);
  • dor de cabeça;
  • torcicolo.

Os bebês também podem sofrer de:

  • Pele manchada;
  • ficando mais pálida ou ficando azul;
  • recusando-se a alimentar;
  • irritável quando apanhado;
  • com um grito agudo ou gemendo;
  • um corpo rígido com movimentos bruscos;

No entanto, é importante notar que os sintomas variam e nem sempre vão exibir todos os sintomas listados.

Tratamento para surdez causada por meningite

Uma das formas de tentar resolver esse problema é a realização de um implante coclear, pois a utilização de aparelho auditivo pelos pacientes que adquirem deficiência auditiva neurossensorial severa a profunda ou profunda pós-meningite não soluciona a perda de audição.

Além disso, também existem outros sintomas que surgem a longo prazo na audição de quem se recupera da doença. Zumbido no ouvido e sons permanentes ou temporários na cabeça também diminuem a qualidade de vida das pessoas após a recuperação.

 

Leave A Reply

Your email address will not be published.