Take a fresh look at your lifestyle.

10 Remédios Caseiros para Aliviar a Coceira na Vagina

0

Não há nada mais incômodo e constrangedor do que coceira na vagina. A maioria das mulheres já passou por esse problema e conhece o estresse que é. O pior de tudo é a preocupação que surge por não saber o motivo de tal coceira.

Seja por fatores higiênicos, de saúde ou decorrência de outros fatores, essa é uma situação que, antes mesmo de ser resolvida, precisa ser primeiro analisada, para identificar suas causas e tomar as atitudes de acordo. A saúde íntima é algo que exige uma atenção redobrada, e nesse caso tão comprometedor, é mais importante saber as raízes da questão. Vejamos o que pode causar esse tipo de coceira.

Quais são as principais causas de coceira na vagina?

como aliviar em casa coceira na vagina dicavida 01

  • Vaginose bacteriana – é uma infecção causada por excesso de bactérias na vagina.A transmissão se dá tanto pelo contato íntimo, quanto pela relação sexual. Ela também é considerada a segunda causa de candidíase. O corrimento tem um odor desagradável e forte.
  • Doença sexualmente transmissível (DST) – doenças sexualmente transmissíveis ou DSTs são doenças transmitidas geralmente, através da relação sexual, sem preservativo.
  • Infecção vaginal por fungos (candidíase vaginal) – candidíase é uma infecção fúngica que pode afetar áreas como a pele, órgãos genitais, garganta, boca, e sangue. É causada pelo crescimento excessivo de um tipo de fungo denominado Candida, usualmente Candida albicans. Este fungo é normalmente encontrado em pequenas quantidades no corpo humano.
  • Menopausa – no período da menopausa muitas mulheres desenvolvem sintomas limitantes decorrentes da redução na produção dos hormônios femininos.Devido a falta de estrogênio, as paredes da vagina ficam sem lubrificação e provocam a coceira na vagina.
  • Alergia – causada por substâncias químicas utilizadas por meio de sabonetes, cremes, papel higiênico, preservativo, amaciante.

Nossa primeira ação ao surgir à coceira na vagina é levar a mão para coçar, mas não faça isso em hipótese alguma. Lembrando que seu médico deverá ser procurado para maiores esclarecimentos.

Situações e sinais de coceira constantes

Na maior parte dos casos que envolvem coceira na vagina, eles vem acompanhados de outros sintomas e complicações perigosas, que por sua vez podem deixar mais claro quais são as causas da mesma. Em caso de dúvidas, sempre busque pelo ginecologista, para avaliar qual é o diagnóstico, e o que se deve fazer.

Vejamos alguns dos cenários mais comuns e sintomas que vêm acompanhados da coceira em si. Note que alguns casos podem ser realmente doenças e outros distúrbios relacionados aos fatores mencionados com antecedência, então não deixe de se cuidar.

Coceira e corrimento branco

O corrimento, por si só, pode não significar um problema a saúde da mulher, já que está relacionado tanto a seu período fértil, como a própria lubrificação vaginal. Nestes casos, eles vêm ou transparentes, ou com uma textura similar a clara de ovo, e inodoro. Já nos casos em que o corrimento está branco, com cheiro, e acompanhado ou precedido de coceira vaginal, pode ser sinal de algum tipo de infecção.

As causas mais comuns para a coceira vaginal, seguida de corrimento branco e sensação de queimação na região está relacionada ou a candidíase, ou por vaginose bacteriana.

A candidíase vaginal é uma infecção causada por fungos, e decorre tanto de uma má higienização íntima, como de um abafamento constante do órgão íntimo. O tratamento é feito através de antifúngicos recomendados pelo ginecologista.

A vaginose bacteriana, por sua vez, é uma alteração na flora vaginal pelo excesso de uma bactéria, a Gardnerella Vaginalis, além do corrimento branco, traz um péssimo odor e dores na região íntima. Seu tratamento é feito através de antibióticos, e é recomendável não ter nenhum tipo de atividade sexual o período de recuperação.

Coceira no clitóris

Embora a coceira nesta parte específica do órgão íntimo feminino tenha causas similares ou mesmo idênticas ao que mencionamos antes, a falta de outros sintomas podem trazer possibilidades específicas de causas, exigindo atenção das mulheres. A coceira no clitóris pode ser igualmente um outro sinal de candidíase, como pode ter outros motivos.

O estresse costuma ser uma dessas causas, para citar um exemplo. Caso tenha passado por um ou mais episódios recentes de nervosismo, e sua saúde íntima está em dia, é importante considerar o caso. Ainda na saúde íntima, a coceira pode estar relacionada a algum tipo de sensibilidade a produtos de higiene como sabonetes, perfumes e produtos químicos em geral, como o sabão utilizado para lavar suas peças íntimas. Cada detalhe faz a diferença nesses casos, evitando principalmente algum tipo de confusão com o diagnóstico.

Coceira nos grandes lábios

A coceira nos grandes lábios pode ter as mesmas causas da coceira no clitóris, ou já pode ser um quadro mais avançado da coceira vaginal. Em estágios mais avançados, e que não ocorreram corrimento branco ou amarelado, essa região pode ficar um pouco mais escurecida, decorrente da coceira.

Nestes casos, além de evitar a coceira o quanto for possível, deve-se deixar a região o mais desconfortável possível, com o uso de roupas que não apertem ou não abafem a região íntima, além do uso de pomadas indicadas pelo ginecologista.

Uma outra causa, comum em jovens antes da puberdade ou durante a menopausa, é a vaginite. Trata-se de uma inflamação que pode começar nos grandes lábios, e ir para outras regiões do órgão íntimo feminino, e pode ser decorrente tanto da mudança dos níveis de bactérias benéficas na flora vaginal, por infecções diretas ou a diminuição nos níveis de estrógeno.

Prurido vulvar

Como é possível perceber até aqui, cada uma das coceiras em regiões específicas da vagina podem ser decorrentes de infecções ou irritações diferentes. No caso do prurido vulvar, em que a coceira constante se dá na vulva, a razão, além das causas mencionadas acima, pode ser vulvite.

A vulvite, ou vulvovaginite quando se dá em toda a região da vulva e da vagina, é causada pelas mesmas bactérias responsáveis pela clamídia, pela candidíase e pela tricomoníase. Outra causa muito comum são as reações alérgicas a produtos ou tecidos da calcinha e roupas próximas, que intensificam o quadro. Na dúvida, tenha sempre seus exames em dia, para ter uma noção mais clara do que pode estar acontecendo.

Dicas para aliviar a coceira na vagina

Mais do que apenas saber o que causa, é importante prevenir tais casos de coceira na vagina. Cuidados simples com a alimentação, com a higiene íntima, e até mesmo com o tipo de calcinhas utilizadas, pode fazer toda a diferença. Antes de mostrarmos os remédios caseiros propriamente, vejamos alguns cuidados muito importantes para evitar esse momento.

1) Mantenha a higiene

Notícia Diárias Para Quem Não Tem Tempo

Não ter uma higiene correta do nosso corpo, pode ter sérias consequências. Isso se torna mais grave quando não há limpeza na área íntima, o que leva a coceira ou até há uma inflamação. O que muitas vezes acontece são mulheres que não sabem lavar corretamente a vagina, devido à falta de informação.

Uma boa dica é sempre limpar num movimento de frente para trás, para não trazer a sujeira para a vagina. Nesse caso é bom ter uma conversa franca com seu ginecologista. O mesmo princípio vale após as relações sexuais, já que as chances de ser infectada por bactérias são maiores após esse tipo de contato.

2) Evite ter relações sexuais

Se estiver sentindo coceira na vagina durante algum tempo, evite ter relação sexual até tratar devidamente os sintomas. Muitas vezes essa coceira pode ser causada por algum tipo de fungo ou bactéria, como vimos mais acima; se essa for à situação, poderá também infectar seu parceiro sexual.

Ainda podemos dizer que a coceira só aumentaria após o sexo, já que essas mesmas bactérias poderiam se proliferar pela falta de uma higienização adequada. Em todo caso nunca, faça sexo desprotegido, sempre use preservativo.

Uma última dica está relacionada ao próprio ato sexual. Saiba exatamente com quem você irá ter essas relações. Tanto quanto sofrer de coceira por descuidos próprios, é ela ter sido causada por doenças e desatenções do seu parceiro. Para quem tem a vida sexual ativa, o cuidado é redobrado, bem como a higiene pessoal do parceiro. Existem sinais bem claros de falta de higiene, e que devem ser levados a sério.

3) Lave com água fria

Um fato que toda mulher sabe é que a vagina é um local úmido e abafado, o que facilita a reprodução de bactérias. Então, para evitar a coceira é preciso manter a região seca e ventilada.

Lave a região com água fria abundante. A água reduz o calor e diminui a coceira. Não é necessário usar sabonetes; se preferir, use os neutros. Uma segunda sugestão é passar gelo no local onde a coceira é intensa, para aliviar o sintoma e oferecer uma proteção extra.

4) Escolha o sabonete ideal

Saber qual seria o sabonete apropriado, gera muitas dúvidas afinal de contas existem várias opções no mercado. Para te ajudar nesse processo, separamos algumas dicas para você.

  • Prefiras os sabonetes sem perfume – ao lavar com esse tipo de produto pode acontecer de ficar resíduos, o que levaria a uma alergia.
  • Use marcas de sabão que você conhece.
  • Evite papel higiênico com cheiro, lenço umedecido ou desodorantes, esse produtos podem modificar o pH da vagina.

Para concluir procure usar sabonetes neutros e água abundante, faça isso no máximo duas vezes por dia.

5) Evite roupas apertadas

Que roupas apertadas são desconfortáveis, isso todo mundo sabe. Mas para evitar esses problemas de coceira na região íntima, é mais importante ainda evitá-las. Esse tipo de roupa não permite a ventilação na vagina, criando um ambiente ideal para fungos e bactérias. Para a mulher, usar roupas mais largas, principalmente calças e lingerie, é uma questão de saúde, mais do que estética.

6) Durma sem calcinha

Não usar calcinha a noite é ideal para permitir que a vagina respire, além de diminuir os riscos de suar durante a noite. Se optar por usar lingerie procure pelas de algodão e evite as de poliéster. O algodão retém o suor e não esquenta.

7) Fique atenta ao seu absorvente

Se a coceira iniciou durante a menstruação o culpado pode ser seu tipo de absorvente externo. Muitas mulheres são alérgicas a absorventes devido ao cheiro ou material de que é feito. Nesse caso trocar a marca do produto pode ser útil.

Outra dica é usar o absorvente interno, já que não há tanto contato com a pele ou ainda pode-se usar o coletor menstrual. Lembrando que os absorventes diários também provocam coceira.

8) Depilação

A depilação em si é um assunto polêmico para as mulheres brasileiras. Independente dos aspectos estéticos, esse é um ponto que todas as mulheres devem ficar ainda mais atentas. Especialmente nos casos em que sofrem com alergia a lâmina ou à cera. A explicação está no fato da depilação abrir os poros, o que aumenta a chance de infecções.

Nesses casos, é recomendável fazer procedimentos pré e pós depilação.

9) Evite comer açúcar

Essa dica deve ser seguida em especial por quem tem coceira provocada devido a infecções por fungos. O açúcar provoca o aumento de levedura, muitas vezes causada por Cândida. Continuar a comer açúcar levaria a mais infecções desse tipo.

Identificar a coceira na vagina devido a esse tipo de detalhe pode ser um pouco mais complicado. A consulta prévia em um ginecologista, antes de pedir ajuda de um nutricionista pode ser ideal para criar uma nova dieta e reduzir a possibilidade de uma nova crise de coceira.

10) Beba bastante água

A água limpa todas as impurezas do nosso sistema, além de nos manter sempre hidratadas. Se você está com uma infecção, beber bastante água e com frequência elimina os agentes causadores. Beba no mínimo 2 a 3 litros por dia, e sempre higienize a região após ir ao banheiro. A limpeza, junto a excreção de organismos nocivos, vai garantir que não haja coceira.

11) Medicação

Medicações devem sempre ser prescritas pelo ginecologista, justamente por se tratar de uma região sensível e propensa a alergias se não houver um cuidado real. Eles costumam vir na apresentação de cremes, pomadas ou comprimidos, e são comprados em farmácias, em alguns casos apenas com apresentação de receita.

Nunca se automedique. Além dos riscos a própria região genital, a medicação sem prescrição pode gerar outros tipos ainda mais graves de doenças. Para essa questão, é mais seguro investir em remédios caseiros, cujos cuidados tem como princípio básico aliviar a coceira e melhorar a saúde como um todo.

Selecionamos 10 Remédios caseiros para aliviar a coceira na vagina

1- Banho de vinagre de maçã

Está comprovado que o vinagre de maçã vem trazendo ótimos benefícios para a pele, cabelo e no combate as bactérias e fungos, uns dos maiores causadores da coceira na vagina. Uma das possíveis explicações é sua acidez, que em contato com o fungo impede que ele sobreviva. Sua ação é parecida com a própria acidez da vagina ou pH que impede o crescimento dos fungos.

Ingredientes

  • 1 bacia com água
  • ½ xícara de vinagre de maçã

Modo de preparo

Ferva a água e espere esfriar até uma temperatura ambiente. Logo após acrescente o vinagre. Use como banho de assento, para isso basta deixar as pernas bem abertas para que a mistura possa correr livremente. Fique no banho até a água esfriar. Faça o mesmo procedimento por até 3 vezes durante o dia.
Uma segunda sugestão é beber o vinagre, isso fará com que seu corpo fique mais alcalino, ou seja, se torne capaz de combater infecções. Em um copo de água misture 3 colheres de vinagre de maçã. Faça isso 2 vezes por dia.

Na Alimentação

Na alimentação, você pode beber uma quantidade mínima e direta do vinagre. Isso fará com que seu corpo fique mais alcalino, ou seja, se torne capaz de combater infecções. Em um copo de água, misture 3 colheres de vinagre de maçã. Faça isso 2 vezes por dia, de preferência após alguma refeição, para facilitar a absorção dos nutrientes.

2- Mel

O mel também possui ação antibacteriana e antifúngica, que por sua vez diminui a coceira. Seu uso deve ser comedido, e com autorização clínica prévia.

Ingredientes

  • Mel
  • Algodão

Modo de preparo

  • Com a ajuda de um algodão passe o mel na vagina e deixe por 1 hora. Depois lave o local e repita o processo.
  • Obedeça ao modo de preparo para melhores resultados.
  • Todos os ingredientes dos remédios citados são de fácil acesso podendo ser comprado em supermercado ou em casa de produtos orgânicos.

Na Alimentação

Uma outra forma de usar o mel para tratar a coceira vaginal é como fonte direta de alimentação. Para tanto, 1 a 2 sopas de mel, de fontes naturais e não pasteurizadas, são o suficiente para manter a região genital protegida. Se preferir, as colheres de mel podem ser misturadas a um copo de água morna.

3- Alho

O alho é muito usado na culinária para dar um sabor especial à comida, mas você sabia que suas propriedades vão muito além disso? Como um superalimento, ele pode ser usado no combate ao câncer, pressão arterial e tratamento de infecções. O que, indiretamente, também pode ser usado no tratamento com a coceira na vagina, acabando com a presença de bactérias e fungos.

Ingredientes

  • 1 a 2 dentes de alho
  • Gazes

Modo de preparo

Descasque um dente alho e faça pequenos cortes nele. Você também pode amassá-lo ao invés de usar inteiro. Com uma gaze, enrole o alho e coloque na vagina por 2 horas. Depois desse tempo, retire a gaze.

Espere um tempo e repita o processo novamente. Procure fazer esse procedimento durante a noite.
Uma segunda opção é usar óleo de alho. Nesse caso deixe por apenas 15 minutos e lave normalmente. O cheiro pode não ser muito agradável, mas ele fará muita diferença nos cuidados, acabando os sintomas da coceira, e permitindo uma higienização mais adequada em seguida.

Na Alimentação

A receita para usar o alho na alimentação contra a coceira é um pouco amarga, mas poderosa. Para tanto, esmague até 4 dentes de alho, misturados com água. Beba de uma vez e algumas horas antes da refeição. Os efeitos serão imediatos. Se preferir, diminua o ardor com mel.

4- Chá de uva-ursina

Apesar do nome diferente, essa erva tem seu espaço garantido nessa lista devido a sua ação contra os micróbios. Sua capacidade vai além de eliminá-los, ela também é responsável pela prevenção contra futuras doenças.

Ingredientes

  • 200 ml de água
  • 2 colheres de folhas de uva-ursina

Modo de preparo

Comece por ferver a água, logo depois acrescente a erva. Deixe por infusão por apenas 10 minutos. Coe e beba até 4 vezes por dia.

5- Chá de calêndula

Também chamada de malmequer, essa planta é conhecida por muitas pessoas pela sua capacidade antifúngica e antibiótica. Ideal para acabar com aquela coceira irritante na vagina.

Ingredientes

  • 1 colher de calêndula seca
  • 200 ml de água

Modo de preparo

Após ferver a água, adicione a calêndula e espere por 10 minutos. Tome no máximo 3 vezes ao dia. Como seus efeitos são também calmantes, não é bom tomá-lo demais, e acabar com a sensação de corpo cansado.

6- Iogurte natural

O iogurte possui as boas bactérias capazes de restaurar o equilíbrio saudável da vagina. Sua função é diminuir a acidez e a ação dos fungos. Para que seja o mais eficiente possível, o iogurte precisa ser natural.

Caso use as opções com adoçantes ou açúcar, os probióticos presentes no iogurte não serão eficientes o bastante para lidar com a coceira. Além da opção, por si só, não ser muito saudável.

Ingredientes

  • 25 g de iogurte
    Algodão

Modo de preparo

Insira o algodão no iogurte e aplique diretamente na vagina. Você poderá usar um tampão ou absorvente interno para não sujar a calcinha. Após uma 1 hora lave o local e repita o processo por até 3 vezes.

Notícia Diárias Para Quem Não Tem Tempo

Na alimentação

Um copo de iogurte, ao menos uma vez por dia e antes de uma das refeições mais importantes, é uma ótima sugestão para manter a região genital protegida dos efeitos fúngicos e bactericidas. Para tornar a proteção ainda mais eficiente, combine o iogurte com frutas que potencializam essa proteção, como morango, banana, pêra, ou mamão.

7- Banho de assento com camomila

Chá de camomila promove um efeito calmante quando ingerido, para o tratamento de coceira vaginal essa mesma propriedade pode ser aproveitada. Essa erva diminuirá a coceira ou a vermelhidão apresentada, além de aliviar a inflamação.

Ingredientes

  • 2 colheres de camomila seca
  • 1 litro de água

Modo de preparo

Ferva a água junto com a camomila durante 5 minutos. Desligue o fogo e deixe por mais 5 minutos em infusão. Espere esfriar e coe. Repita o procedimento até 2 vezes por dia.

8- Óleo de coco

Não tem como duvidar de todos os benefícios do óleo de coco para saúde, mas uma recente descoberta mostrou sua capacidade em acabar com a coceira na vagina. Um dos motivos é que o óleo trata o aspecto seco responsável pela irritação deixando a pele mais hidratada. Sua ação contra os fungos também é bastante eficaz devido seus componentes como os ácidos capazes de matar os fungos e fortalecer o sistema imunológico.

Ingredientes

  • 4 colheres de óleo de coco
  • 1,5 l de água

Modo de preparo

Misture os ingredientes e lave a região afetada pela coceira. Passe com cuidado, e após a devida higienização. Dê preferência a horários em que pode ficar sem o uso de calcinha, como sozinha em casa ou na hora de dormir, por exemplo. Dessa forma, os efeitos do óleo serão mais eficientes.

Na Alimentação

Regularmente, o óleo de coco pode ser usado para amenizar os sintomas da coceira na vagina como parte de saladas, ou ainda em infusões. Contudo, devido aos efeitos colaterais que ele pode possuir, é recomendada uma quantidade mínima de uso, e sempre junto a outros alimentos.

9- Banho de sal

O sal facilmente encontrado em qualquer cozinha tem diversos benefícios além de dar sabor aos alimentos. Entre eles, está sua capacidade de inibir o crescimento de bactérias e fungos causadores da coceira e corrimento na vagina. Um banho na banheira com sais ajuda a eliminar a coceira e ainda protege a região genital.

Ingredientes

  • ½ xícara de sal
  • Água

Modo de preparo

Ferva a água e faça a mistura com sal. Use como banho de assento por 10 minutos. Faça isso 3 vezes por dia, ou uma vez por um tempo um pouco mais prolongado, até 20 minutos.

10- Preparo de ervas

Esse remédio caseiro pode ser feito a partir de ervas que você tenha na sua própria cozinha. São elas: sálvia, alecrim e tomilho, conhecidas por suas propriedades relaxantes ou seu uso na culinária para dar mais frescor e sabor aos alimentos.

Mas ao contrário do que possa imaginar, esse preparo também pode ser usado no alívio da coceira na vagina, tudo graças ao seu poder relaxante, combatendo diretamente fungos e bactérias que estejam causando a coceira.

Ingredientes

  • 1 copo de água
  • 1 colher de sálvia
  • 1 colher de alecrim
  • 2 colheres de tomilho

Modo de preparo

Depois de ferver a água acrescente as ervas e faça uma infusão de 15 a 20 minutos. Após é só coar e lavar a vagina pelo menos 2 vezes ao dia. Também pode ser usada em infecções por fungo cândida.

Leave A Reply

Your email address will not be published.