Take a fresh look at your lifestyle.

Saiba Tudo Sobre o Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC)

0

Uma pessoa levanta diversas vezes da cama todas as noites e verifica se todas as portas estão trancadas. Ao voltar para a cama é atormentada pela ideia de que pode ter esquecido uma delas aberta. Outra pessoa toma três ou quatro banhos seguidos, sempre esfregando o corpo todo com um desinfetante especial, por temer que possa estar contaminada com germes. Esses são exemplos de pessoas que têm sintomas do Transtorno Obsessivo-Compulsivo.

A seguir vamos conhecer melhor o Transtorno Obsessivo-Compulsivo, o que causa esse problema, seus sintomas e os tratamentos.

O Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC)

Notícia Diárias Para Quem Não Tem Tempo

De vez em quando, todos nós temos pensamentos recorrentes (“Será que eu deixei o gás ligado?”) e impulsos de realizar rituais de comportamento (como desvirar um chinelo e alinhá-los, ou organizar a mesa do trabalho de certa maneira antes de começar uma tarefa). Mas para as pessoas que com Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) estes atos e pensamentos ocupam tanto tempo que interferem seriamente em sua vida cotidiana.

O TOC é um tipo de transtorno de ansiedade, composto por atos e ideias repetitivas. As obsessões são intromissões persistentes de pensamentos, imagens ou impulsos indesejáveis que geram ansiedade. As compulsões são impulsos irresistíveis para executar determinados atos ou rituais que reduzem a ansiedade.

Os pensamentos obsessivos muitas vezes estão ligados a atos compulsivos e o elemento repetitivo pode ser um pensamento (obsessão) ou um ato (compulsão), mas a característica central do transtorno é sempre a experiência subjetiva de perda de controle.

As causas do Transtorno Obsessivo-Compulsivo

As pessoas que sofrem deste transtorno são psicologicamente muito prejudicadas. Entre 1 e 2,5% das pessoas desenvolvem um transtorno obsessivo-compulsivo em algum momento da vida.

O TOC muitas vezes aparece na infância e se não for tratado ele tende a se tornar crônico. Os pensamentos obsessivos são muito angustiantes, e os comportamentos compulsivos podem tomar muito tempo e trazer problemas de inadaptação (por exemplo, lavar as mãos com tanta freqüência que elas sangram).

As pesquisas sobre o assunto sugerem que o TOC pode ter causas biológicas, vulnerabilidades cognitivas, psicológicas e comportamentais. Entre as principais causas estão:

  • Vulnerabilidade genética, neurológica ou bioquímica à ansiedade.
  • Deficiência de serotonina (neurotransmissor que regula o humor e nossos impulsos) nas áreas cerebrais que regulam os impulsos primitivos de sexo, violência e higiene (impulsos que muitas vezes são o foco das obsessões).
  • Dificuldade para “desligar” os pensamentos inoportunos, com tendência para o pensamento rígido e moralista, julgando seus pensamentos negativos como inaceitáveis e tornando-se uma pessoa mais ansiosa e culpada consigo mesma.
  • Tendência a realizar comportamentos que inibem a ansiedade e criam uma obsessão, ou seja, toda vez que a pessoa tem a obsessão, ela se sente obrigada a adotar aquele comportamento a fim de reduzir a ansiedade.
  • Tendência a apresentar pensamento catastrófico e comportamentos de esquiva inadaptados para reduzir a ansiedade.
  • Impulsos inaceitáveis (hostilidade, destrutividade, impulsos sexuais inadequados) que foram reprimidos em algum momento da vida e que reaparecem de forma disfarçada.

Sintomas do TOC

As pessoas que sofrem de TOC reconhecem que seus pensamentos são irracionais e repugnantes, mas não conseguem ignorá-los ou suprimi-los, ficando ansiosas quando tentam resistir às suas compulsões, sentindo um alívio imediato da tensão quando os atos são executados.

Elas acreditam que suas ações impedirão futuros “desastres” ou punições, como, por exemplo, verificar repetidamente se o fogão foi desligado a fim de evitar um possível incêndio ou uma mulher que lava as mãos várias vezes ao pensar que seu marido sofrerá um acidente.

Podemos citar alguns sintomas do Transtorno Obsessivo-Compulsivo como:

  • Ter pensamentos inoportunos, seguidos por ações repetitivas.
  • Medo de contaminação quando exposto a determinados objetos ou pensamentos.
  • Passar horas realizando rituais de lavagem e limpeza.
  • Dúvidas excessivas seguidas de verificações, como gás, portas, luzes, fornos etc.
  • Repetir atos ritualísticos inúmeras vezes.
  • Preocupação exagerada com ordem e simetria ou exatidão das coisas.
  • Pensamentos de conteúdos inaceitáveis (violência, sexuais etc).
  • Compulsão em armazenar objetos sem utilidade e dificuldade em descartá-los.

Notícia Diárias Para Quem Não Tem Tempo

Para se diagnosticar o TOC é preciso que as obsessões ou compulsões consumam um tempo razoável ou causem desconforto clinicamente significativo, ou que comprometam a vida social, em casa, no trabalho, na escola e em outras áreas importantes da vida da pessoa.

Veja também nosso infográfico com os principais sintomas de TOC

 

Tratamentos para o TOC

Os Tratamentos mais eficazes para o TOC são realizados em conjunto para um melhor resultado, sendo os principais:

  • Medicamentoso: medicamentos que inicialmente eram utilizados para tratar a depressão e que depois foram descobertos para tratar o TOC; pessoas com Transtorno Obsessivo-Compulsivo muitas vezes obtêm alívio para os sintomas quando tomam medicação que regula os níveis de serotonina; alguns medicamentos muitas vezes não eliminam por completo os sintomas do TOC e provocam efeitos colaterais indesejáveis, mas medicamentos mais modernos têm sido bem tolerados.
  • Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC): utiliza técnicas cognitivas para corrigir crenças erradas, através da psicoeducação sobre o TOC (o paciente vai identificar suas obsessões, compulsões, evitações e os pensamentos catastróficos), exame de evidências, testes comportamentais, exercícios graduais de exposição e prevenção de rituais, exercícios de correção de pensamentos e crenças erradas que são acrescentados às tarefas de casa.
  • Terapia de Exposição e Prevenção de Rituais: o terapeuta passa exercícios graduais nos quais o paciente se expõe em contato direto com objetos, locais ou situações que causam medo ou desconforto e que são evitados (exposição), a fim de fazer com que ele deixe de executar os rituais que aliviam a ansiedade (prevenção de rituais).

 

Leave A Reply

Your email address will not be published.