Take a fresh look at your lifestyle.

Tudo Sobre a Herpes

0

A Herpes pode ser tanto uma Doença Sexualmente Transmissível, como uma simples infecção viral. O que determina a diferença são as formas de contágio e os tipos de vírus que se incubaram no corpo. Enquanto a Herpes Genital pode ser considerada realmente perigosa, a Herpes Simples é mais simples de ser lidada, embora ela também não tenha cura.

Como é transmitida a Herpes?

De modo geral, só se contrai herpes através do contato direto com uma pessoa que já possua, seja via oral ou genital. Embora o que chame atenção seja o contato com feridas abertas, os fluídos de uma pessoa contaminada, como saliva, por exemplo, também podem levar ao contágio. Seus sintomas podem se manifestar em até duas semanas, período no qual o vírus se aloja no organismo.

Como há diferenças mais expressivas quanto aos sintomas de herpes simples e genital, os vírus que a causam foram separados em dois tipos. Neste artigo, explicamos em maiores detalhes as diferenças entre o HSV-1 e o HSV-2; aqui, entraremos em detalhes sobre o HSV-1, que causa a Herpes Simples.

Estima-se que 90% das pessoas, em algum momento da vida, terão contato com o HSV-1, por inúmeros fatores. Porém, uma vez que haja condições para um bom desenvolvimento do sistema imunológico, estas manifestações costumam ser bem raras. Eis os fatores de risco que podem aumentar a manifestação de Herpes Labial.

Atente-se aos seguintes Fatores de Risco:

  • Altos Índices de Estresse
  • Alta Exposição ao Sol
  • Menstruação ou período Pré-Menstrual
  • Traumatismos de qualquer natureza.

Quais são os principais sintomas?

É importante conseguir identificar os sintomas para que procure um médico o quanto antes. Os principais sintomas são os seguintes:

A) Aftas: as aparições de aftas na região bucal, ou feridas na região genital. Embora na genitália seja mais rara e, quando surge é menor em comparação a sua versão HSV-2, ela não deixa de ser menos perigosa, inclusive como um contaminador.

B) Queimação e formigamento: além das aftas, a característica queimação e formigamento das regiões ela se manifesta é outro dos sintomas mais comuns da Herpes Simples, servindo como um indicativo sobre quando será a próxima manifestação, o que pode significar uma queda no sistema imunológico.

Assim como nos casos de Herpes Genital, estas feridas desaparecem, até aparecerem novamente em uma outra oportunidade.

Como diagnosticar se você tem herpes?

A) Um clínico geral, ou médicos especialistas em áreas relacionadas ao sistema imunológico ou ao sistema reprodutor, como:

  • Ginecologistas
  • Urologistas
  • Imunologista
  • Dermatologista
Mais Sobre Este Assunto

Estes especialistas podem identificar a herpes simples com a apresentação dos sintomas por parte dos pacientes, sem a necessidade de exames.

B) Porém, caso outros sintomas sejam identificados, os médicos podem pedir os seguintes exames:

  • Sorologia, variação do exame de sangue específica para análise de anticorpos para o HSV
  • Teste de anticorpos feito com uma amostra do tecido lesionado, analisando suas células.

Como tratar? 

dicavida_herpes

A Herpes simples, bem como a Herpes Genital, não tem cura. Dependendo da gravidade das manifestações da doença, é possível que o médico indique medicamentos antivirais de via oral para o controle dos sintomas, como o conhecido Aciclovir. Contudo, caso haja uma boa estrutura do sistema imunológico, tais prevenções só serão necessárias em períodos de surtos mais evidentes, com ao aparecimento de ardência, por exemplo.

Ir ao médico em caso dos sintomas aparecerem é importante, principalmente para confirmação do tipo em questão. Um leigo no assunto pode não conseguir diferenciar a Herpes Genital da Simples, uma vez que o contato oral-genital pode levar a contaminação em áreas diferentes do corpo.

E mais importante ainda, o paciente nunca deve se automedicar antes de ter as recomendações médicas. Pois, é uma doença que se manifesta em diferentes graus no organismo, estando relacionado à maneira com que o sistema imunológico reage. Com estes limites bem estabelecidos, o paciente estará mais consciente de como agir em caso de novas manifestações.

Quais são as complicações?

A Herpes simples, por si só, não causa danos fatais ao organismo. Porém, devido a baixa imunidade do corpo, ela pode criar aberturas para outras doenças mais graves, como pneumonia, infecções no olho e na traqueia, podendo se espalhar em outros pontos do corpo.

Em casos extremos, pode levar a doenças fatais, como Meningite e Encefalite. Daí a importância de não se automedicar, e procurar auxílio médico o quanto antes.

Prevenções Básicas

Existem alguns cuidados que podem ser facilmente tomados para evitar a infecção, ou ao menos amenizar os seus sintomas uma vez contraída. Evitar boa parte dos fatores de risco indicados mais acima são uma boa prática, mas não as únicas. Veja a seguir o que pode ser feito para evitar o contágio.

  • Evitar Lesões abertas, uma das principais vias de contágio
  • Evitar o contato com pessoas que estão com lesões ativas vindas de herpes, principalmente genital
  • Caso possua herpes, evitar contatos com recém-nascidos nos períodos ativos
  • Não estourar, nunca, as bolhas formadas por herpes. São elas que espalham o vírus quando estouradas. Nestes casos, o medicamento deve ser utilizado.

Veja esta reportagem sobre a herpes (19:10):

Leave A Reply

Your email address will not be published.